mulher com mau hálitoO mau hálito, conhecido também como halitose, atinge aproximadamente 30% da população brasileira, ou seja, três em cada dez pessoas sofrem com esse desagradável problema. Além do desconforto e diversos constrangimentos, algumas pessoas que tem mau hálito sofrem com a fadiga olfatória, portanto não sentem o próprio odor. E na maioria das vezes, quem percebe, por mais que tenha intimidade, não tem coragem de falar.

Proveniente de diversas causas, o mau hálito é uma forma de manifestação do organismo quando algo não está bem. Por isso é fundamental tratar o mais rápido possível, para evitar problemas graves no futuro, principalmente psicológicos e sociais. Melhor ainda é ter hábitos que evitem a halitose, pois praticamente 90% das causas tem origem na boca, que devido à falta de higiene, acumula placas bacterianas, saburra lingual, cáries, gengivites, entre outros.

O que é Mau Hálito (Halitose)?

O mau hálito é o odor desagradável liberado pela boca ou pela respiração, mas não é uma doença, apenas um sinal de que algo no corpo está em desequilíbrio. Possui diferentes graus:

0. Ausência de odor: nenhum odor é percebido;

1. Hálito natural: existe um odor natural, que não é ruim, e não pode ser considerado como mau hálito;

2. Halitose leve: um leve odor (que agora já é de mau hálito) é percebido à um distância de 30 cm ao soprar ou expirar;

3. Halitose moderada: o odor já pode ser percebido ao falar, à uma distância de 30 cm;

4. Halitose forte: o odor é percebido ao falar, à uma distância de um metro;

5. Halitose severa: odor facilmente percebido até na respiração, e muito difícil de ser tolerado por quem está por perto;

O que é Mau Hálito Matinal?

O mau hálito matinal é normal, e ocorre por uma bactéria que fica em locais sem oxigênio da boca, portanto, ao dormir as glândulas salivares diminuem sua produção, fazendo com que a boca resseque e as bactérias se multipliquem. Após a multiplicação atuam sobre a descamação natural da mucosa bucal, gerando alguns componentes de cheiro ruim e deixando o hálito com odor de “fermentado”.

O mau hálito matinal deve desaparecer após um bom café da manhã, e uma correta higiene bucal, caso contrário, o problema pode ser grave.

Como Saber se Tenho Mau Hálito?

1) Faça um auto-exame da língua, e veja se há a presença de saburra lingual.

2) Pergunte para alguém que você tem grande intimidade, se o seu hálito está forte, e se possível em diferentes horários.

3) Vá a uma clínica especializada, e faça o exame que medem a concentração de gases derivados de enxofre.

Aparelhos detectores do mau hálito: Há dois tipos de aparelhos mais utilizados pelas clínicas, o Halimeter e o Oral Chroma. Além de detectarem a halitose, também medem o nível de compostos sulfurados voláteis. Portanto, é possível saber a intensidade do mau hálito, e também fazer o acompanhamento durante o tratamento.

Como Prevenir o Mau Hálito?

escova de dentePara não passar por situações desagradáveis, e precisar conviver com o mau hálito, a melhor opção é se prevenir através de hábitos corretos, que de certa forma, também são um tipo de tratamento.

Veja aqui algumas dicas:

  • A higienização correta é ideal para a saúde da boca, por isso é interessante procurar um dentista, fazer um clareamento de dentes ou uma limpeza. Escove os dentes após as refeições, passe fio dental diariamente, e limpe a língua com raspadores próprios, pois a escova de dente apenas espalha a sujeira na superfície da língua.

  • Faça bochechos com enxaguantes bucais sem álcool, pois não ressecam os tecidos da mucosa.

  • Faça gargarejo com hortelã, sálvia, ou cravo da índia, pelo menos uma vez por dia.

  • Não coloque muita força ao escovar os dentes, pois pode ferir a gengiva e deixá-la ainda mais propícia às bactérias.

  • Caso use aparelho ortodôntico, use escovas especiais e técnicas corretas de escovação ensinadas pelo dentista.

  • Não fique muito tempo sem comer, não pule refeições, e coma alimentos ricos em fibra (ex: cenoura, maçã etc).

  • Beba muita água.

  • Evite o excesso de alimentos e temperos com alto teor de enxofre, proteína e gordura animal.

  • Evite medicamentos que tenham como contra-indicação a redução de saliva. 

  • Para estimular a produção de saliva, mastigue uma goma de mascar sem açúcar, pois evita o surgimento de cáries.

  • Não consuma álcool e tabaco.

  • Utilize produtos bucais que contenham flúor.

  • Use sempre um irrigador oral, pois limpa de maneira mais completa a gengiva e o espaço entre os dentes.

Tratamento para Mau Hálito

Antes de iniciar um tratamento, é preciso obter um diagnóstico profissional, para saber se a halitose é sistêmica ou local.

Quem trata o Mau Hálito?

tratamento no dentistaSe a pessoa que tem halitose conseguir identificar qual é a causa, basta procurar procurar um profissional da área correspondente. Caso não seja possível identificar sozinho, primeiramente é necessário ir à um dentista, que fará um exame detalhado da boca, da língua, da gengiva e dos dentes, procurando algum sinal de má higienização, gengivites, saburra lingual, entre outros. Outra alternativa, são as clínicas especializadas em hálitos, que possuem medidores do fluxo salivar, e equipamentos de alta tecnologia que auxiliam no diagnóstico.

Um clínico geral também pode conseguir diagnosticar a causa do mau hálito, através do histórico clínico do paciente, e verificando se há problemas fisiológicos, ou o uso de determinado medicamento.

Após um correto diagnóstico, um profissional específico será indicado, por exemplo, se a causa for bucal, basta manter o auxílio do dentista, se for por uma inflamação na garganta, o otorrinolaringologista poderá ajudar.

Mas, como dito anteriormente, hoje já existem clínicas próprias para o tratamento do mau hálito, e muitas delas podem ajudar a resolver o problema independente da causa.

Medicamentos para Tratamento

A Associação Brasileira de Halitose alerta aos portadores, que não confiem em medicamentos muito divulgados pela mídia, que possuem uma ação "milagrosa", eles podem piorar ainda mais o problema. Alguns desses produtos que são comercializados pela Internet não possuem registro junto à ANVISA e o Ministério da Saúde. Portanto, antes de utilizar qualquer coisa, procure um médico especializado e siga suas orientações.

Ervas Medicinais

Algumas plantas e ervas medicinais podem ajudar no tratamento contra o mau hálito:

Hortelã – em forma de chá ou bala.

Chá verde – em forma de chá ou bala.

Badiana – chupar o fruto.

Cravo-da-índia – chupar o fruto.

Funcho – ingerir sob forma de grão.

Fadiga Olfatória

homem com vergonhaCom certeza você já deve ter se deparado com alguma situação em que alguém tem mau hálito, mas não sabe, e para piorar, ninguém tem coragem de contar. Isso acontece porque a pessoa que tem halitose corre o risco de não perceber, processo conhecido como Fadiga Olfatória.

O motivo por não conseguir sentir o próprio mau hálito, é porque o sistema olfatório identifica apenas um único odor por vez e também deixa de sentí-lo se for constante. É possível identificar essa capacidade adaptativa do olfato também em outros situações, como o cheiro ruim de um rio, se você mora ao lado desse rio, depois de um tempo o odor não lhe atrapalha mais, você acaba acostumando. Da mesma maneira ocorre com o mau hálito, no início pode ser que se sinta, mas depois de um tempo ocorre a adaptação dos receptores, e o cheiro passa desapercebido.

O mau hálito é um problema sério, não por suas causas, mas pelos danos psicológicos e sociais. Há pessoas que sabem que tem mau hálito, tentam eliminá-lo de várias formas mas não conseguem, por isso se sentem envergonhadas, evitam conversar muito perto, colocam a mão na boca, viram para o lado ao falar, ou até fogem dos outros para evitar qualquer contato. É muito desconfortável achar que as pessoas se incomodam, ou tem uma impressão ruim de você, e por conta disso, milhares de portadores da halitose tem auto-estima baixa e entram em depressão.

Existem também aquelas que possuem a Fadiga Olfatória, não fazem nem ideia que possuem mau hálito e acabam tendo problemas de relacionamento, porque as pessoas não aguentam ficar muito próximas. São inúmeros os casos de pessoas que perderam relações profissionais, amigos, e até namorado! Por mais que seja uma situação delicada, também é difícil e desagradável para quem tem que conviver com o mau hálito do outro.

Na maior parte das vezes, esses problemas de relacionamento ocorrem pela falta de coragem de tocar no assunto. Até mesmo o mais íntimo e próximo fica sem graça de ser tão sincero, e opta por aguentar calado, como se nada tivesse acontecendo. Mas é fundamental que alguém fale, para que o portador fique ciente e busque um tratamento.

O problema é se ele reagirá bem, pois sempre há o constrangimento, e a dificuldade de lidar com essa restrição social. Caso isso ocorra, nada melhor do que uma conversa. Esclareça que é apenas uma forma de demonstrar preocupação e atenção.

Constrangimentos com a Fadiga Olfatória

A Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas dos Odores da Boca, criou a campanha “S.O.S Mau Hálito”, uma forma simples de resolver o problema: o site da instituição manda um email alertando sobre o problema, mas sem revelar a identidade de quem solicitou. Além disso, o email também explica sobre as possíveis causas do problema e quais os profissionais que podem ajudar a resolver.

Essa mesma associação fez uma pesquisa com 127 pacientes, e revelou que 93% dos portadores da halitose não ficaram chateados com a pessoa que os avisou, pelo contrário, desenvolveram um grande sentimento de gratidão. E mesmo constrangidas, a maioria diz que preferem ser avisadas do que continuar com o problema.

Além do “S.O.S Mau Hálito”, também existem clínicas especializadas em hálito que entram em contato com o portador, explicam sobre a situação, os convidam para marcar uma consulta e se informar mais sobre o assunto.

Portanto, se você conhece alguém que passa por essa situação, tente ajudá-lo para que maiores problemas psicológicos e sociais sejam evitados.

Perguntas Frequentes

O mau hálito pode ser um problema genético?

Não há características genéticas que possam causar o mau hálito, ele pode ocorrer com qualquer pessoa, independente da raça, idade ou sexo, por diversas causas, menos por fatores genéticos.

Regimes para emagrecer podem causar o mau hálito?

Para perder peso muita gente fecha a boca por conta própria ou aposta em alguma das milhares dietas que existem por aí. Seja qual for o método escolhido, a maioria das pessoas ficam horas sem comer, e assim, o organismo começa a utilizar gordura como fonte de energia, e essa queima resulta em elementos que possuem mau cheiro, e são eliminados através do ar. Outra possibilidade para o mau hálito, são os medicamentos compostos de anoréticos, que ao inibirem a fome também fazem com que o organismo queime gordura.

Enxaguante bucal resolve o problema do mau hálito?

O enxaguante bucal é uma ajuda na prevenção de placas bacterianas e gengivite, mas não elimina o mau hálito, apenas encobre o cheiro nos primeiros minutos. Mas junto com uma boa escovação e o uso do fio dental, pode ser um bom complemento para prevenir qualquer problema bucal. É importante escolher um enxaguante que não contenha álcool, pois com o tempo pode piorar ainda mais o odor.

É comum idosos terem o mau hálito em maior incidência? Por quê?

De todos os portadores da halitose, os idosos representam 67,25% deles. Isso ocorre devido à causas que só se manifestam nessa faixa etária, pois o organismo fica muito mais vulnerável à diversos fatores e doenças que podem diminuir o fluxo salivar. Mas o que mais influencia nessa grande incidência é a perda de dentes, que além de dificultar a mastigação, não estimula as glândulas salivares. Por terem essa dificuldade de mastigação, os alimentos líquidos e pastosos são ingeridos em maior quantidade, diminuindo a varredura lingual, e contribuindo para a formação do bolo alimentar, que aumenta o acúmulo da saburra lingual. Outro fator que também pode influenciar é a quantidade de medicamentos utilizados pelos idosos.

Há menor incidência de mau hálito nas crianças? E quando há, quais são as principais causas?

As crianças tem mais saliva, não passam por situações de estresse, normalmente não tomam medicamentos, possuem dentes sadios e hábitos muito mais saudáveis. Quando ocorre o mau hálito na infância, normalmente é passageiro, e muitas vezes é causado por alguma inflamação na garganta, ouvido, problemas dentários, má digestão, etc.